BaaS

Como oferecer serviços financeiros mesmo se empresa não for um banco

O aumento no número de instituições de pagamento no Brasil é a resposta do mercado financeiro ao comportamento digital das pessoas. De acordo com números apresentados pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os meios de pagamentos eletrônicos têm movimentado cerca de R$ 1,5 trilhão por ano. São mais de 20 mil transações por minuto.

Diante disso, muitas empresas estão implantando serviços financeiros no seu negócio. Mas quais vantagens elas conseguem com isso? O que fazer para ser uma instituição de pagamento? Falaremos sobre esses assuntos neste artigo.

Quais são os benefícios de a empresa proporcionar serviços financeiros?

Os dados do estudo “Fintech Deep Dive 2018” feito pela Associação Brasileira de Fintechs (ABFINTECHS), apontam para os meios de pagamentos como um dos principais segmentos de atuação das fintechs – 25% atuam nessa área. Seja sendo uma instituição de pagamento ou fornecendo esse modelo de serviço para outras empresas.

Esse último grupo é composto por organizações de vários nichos de mercado que viram vantagens em oferecer serviços financeiros para os seus clientes. Um desses benefícios é se aproximar do seu público-alvo por aumentar o tempo de interação com a marca.

Por exemplo, geralmente, uma loja virtual tem como core business vender produtos. Sendo assim, uma movimentação comum envolve o cliente comprar um item e só voltar a se relacionar com a marca em uma próxima aquisição.

Porém, no atual mercado comercial, as chances de recompra são pequenas em vista da enorme oferta de produtos pela internet. Contudo, se o cliente tiver uma conta de pagamento no site da loja virtual e um cartão de crédito com o logo dela, ele retornará a interagir com o negócio independente de um desejo de consumo.

O resultado será o aumento da probabilidade de que a próxima compra seja nessa loja. Essa estratégia gera a cobiçada fidelização da base de clientes. Outro benefício envolve fornecer uma boa experiência para os consumidores. Atualmente, isso envolve surpreendê-los com processos práticos, digitais e personalizados.

Como as pessoas estão cada vez mais voltadas para os meios de pagamentos eletrônicos, a empresa que também é uma instituição de pagamento se molda e esse novo comportamento. Sem falar que o negócio passa a integrar o rol de organizações disruptivas que oferecem inovações em forma de serviços.

Como uma empresa pode oferecer serviços financeiros?

Para ser uma instituição de pagamento, a empresa não precisa tornar-se uma instituição financeira e nem entrar com um complexo processo de formalização. Como assim? Com a ajuda da tecnologia embasada no uso de APIs – um conjunto de procedimentos que viabilizam a integração de softwares – foram desenvolvidas plataformas White Label Banking as a Service (BaaS).

Essas aplicações são disponibilizadas por fintechs que já possuem a licença e a regularização do Banco Central (BACEN) e podem estendê-las para outras empresas. Como é um sistema flexível e personalizável, a organização começa a oferecer serviços, como:

  • conta de pagamento;
  • cartão pré-pago;
  • cartão de crédito e débito;
  • emissão de boletos;
  • pagamento de contas;
  • emissão de cartão bandeirado;
  • saques;
  • TED;
  • transferências financeiras;
  • investimentos.

Todas essas funcionalidades tornam a BaaS a parceira perfeita para a empresa ingressar de vez no mercado financeiro. Sem dúvida, essa é uma forma estratégica de aumentar a base de clientes e gerar mais visibilidade para o negócio.

Voltar

DeepDock Materiais exclusivos e análises amplas para
quem quer se aprofundar sobre o nosso negócio.
E-books, infográficos, whitepapers, pesquisas e cases.

Acessar gratuitamente

Você está pronto para se tornar um
pioneiro do banking para empresas
no Brasil?

Quero abrir o meu banco