Crypto as a Service: motor para destravar as soluções financeiras com criptomoedas?

Publicado em 27 de dezembro de 2021.

Tempo de leitura 6 minutos de leitura

Considerando que o bitcoin atingiu o maior valor da história recentemente e que as criptomoedas atraíram uma série de novos investidores em 2021, é indiscutível que o tema continuará no centro das atenções nos próximos anos. E indo além, temos o modelo de Crypto as a Service, que está acelerando a chegada de soluções financeiras com moedas digitais às carteiras de mais e mais pessoas.

Seguindo a tendência que já está presente em outros âmbitos do mercado de pagamentos e banking – Banking as a Service, Acquiring as a Service e Software as a Service, entre outros –, o modelo de Crypto as a Service permite que instituições financeiras, startups, varejistas e outras empresas ofereçam serviços relacionados aos criptoativos em suas plataformas, sejam elas contas digitais ou outras aplicações.

Sendo assim, o Crypto as a Service traz uma grande oportunidade para players que desejam entrar nesse mercado em ascensão e disponibilizar aos clientes soluções de compra, venda e guarda de moedas digitais. Quer saber mais? Confira neste artigo os principais detalhes sobre o tema!

 

O que é Crypto as a Service?

Baseado no conceito do Software as a Service, o modelo Crypto as a Service é focado no mercado de criptomoedas e oferece a tecnologia e a infraestrutura necessárias para que diferentes organizações se tornem fornecedores de serviços desse ecossistema.

Dessa forma, essas empresas podem disponibilizar ativos digitais em suas próprias plataformas, ampliando a sua atuação e as suas possibilidades de rendimento em um âmbito de negócios promissor, com despesas reduzidas.

Além disso, por meio do Crypto as a Service, os usuários terão acesso facilitado às criptomoedas e poderão usufruir de diferentes soluções nesse sentido: desde fazer investimentos e mantê-las em contas digitais até utilizá-las na troca por serviços ou produtos.

Tudo isso de forma segura – o que é extremamente importante, uma vez que, juntamente com a popularização dos criptoativos, também temos assistido a um aumento das tentativas de fraudes nesse mercado.

Como funciona o Crypto as a Service?

No Crypto as a Service, por meio de uma conexão API, os usuários podem incorporar recursos para comprar, vender e manter criptomoedas em suas plataformas ou aplicativos. Há, ainda, a possibilidade de empresas usarem a tecnologia como base para criar novos apps.

Via de regra, os recursos oferecidos nesse modelo são customizáveis e de fácil implantação. Assim, fornecem acesso praticamente instantâneo aos mercados de criptomoedas e podem ser adaptados às necessidades da empresa que contrata, que pode criar a experiência do usuário conforme desejar.

Para os players que querem oferecer soluções com criptomoedas, esse modelo é muito vantajoso financeiramente: além de isentar a empresa de ter que ir atrás de regulamentações, também dispensa a necessidade de desenvolvimento interno de tecnologias complexas. Além disso, as soluções também costumam contar já com sistemas de segurança e prevenção a fraudes incorporados.

Vantagens do Crypto as a Service

  • Agilidade no desenvolvimento de soluções financeiras com criptoativos
  • Possibilidade de engajar públicos em torno de serviços atrativos e em crescimento
  • Flexibilidade para plugar negociação de criptomoedas em plataformas já existentes

 

O mundo “as a service” e a API economy

Você certamente já percebeu: não apenas no setor financeiro, soluções de diferentes mercados estão se adaptando cada vez mais ao modelo “as a service”. Como vimos, o conceito se refere à oferta de soluções como serviço e não como produto inflexível e limitado.

É interessante notar que isso só é possível graças à API Economy, considerada o motor para a transformação digital e para a rentabilidade na Nova Economia. A “economia das APIs” permite a criação de diversas features na velocidade de uma integração e possibilita o diálogo entre sistemas diferentes de maneira rápida e contínua.

No mercado financeiro, esse formato está cada vez mais presente e vem se consolidando nos últimos anos, tendo se tornado essencial para o desenvolvimento desse ecossistema. Muitos players que estão se destacando atualmente são usuários de plataformas de Banking as a Service, Fintech as a Service ou Acquiring as a Service.

O mesmo deve ocorrer em breve com o Crypto as a Service, que, além de ser baseado nesse modelo inovador e com diversas vantagens, traz a oportunidade de ingressar em um mercado que está em forte expansão, como o das criptomoedas.

 

universo financeiro as a service

 

Na Dock, estamos acompanhando todas as oportunidades para decodificar o universo financeiro

Nós fazemos parte dessa transformação, que torna a tecnologia em pagamentos e banking cada vez mais acessível e “as a service” para que novas soluções sejam desenvolvidas e possam tornar finanças mais orgânicas e inclusivas.

Por isso, estamos de olho no modelo de Crypto as a Service e todas as suas oportunidades. Inclusive, nossa área de crypto já está nascendo e em breve teremos novidades para contar!

 

Crypto as a Service: o que você viu neste artigo

  • Em 2021, o bitcoin teve a maior alta da história e as criptomoedas atraíram uma série de novos investidores.
  • O Crypto as a Service permitirá que instituições financeiras, startups, varejistas e outras empresas ofereçam serviços relacionados aos criptoativos em suas plataformas.
  • Com a solução, organizações contam com a tecnologia e regulamentação necessárias para possibilitar que os seus clientes comprem, vendam e mantenham criptomoedas de forma fácil e segura.
  • Assim como as outras plataformas “as a service”, o Crypto as a Service funciona por meio da conexão com APIs e oferece recursos customizáveis e de fácil implementação.
  • O Crypto as a Service é uma grande oportunidade para players que desejam ingressar no mercado das criptomoedas em 2022.

Quer saber mais?

Quer ficar por dentro das últimas novidades no mercado de pagamentos e digital banking?

Inscreva-se na nossa newsletter mensal: