Fintechs de nicho: o futuro das finanças se faz com inclusão e inovação

Publicado em 26 de outubro de 2021.

Tempo de leitura 9 minutos de leitura

As fintechs de nicho são hoje uma das tendências mais sólidas do mercado de pagamentos e banking ― e um dos principais caminhos para a inclusão financeira na América Latina. Mas o que, de fato, caracteriza uma fintech de nicho? Quais são as vantagens de trabalhar com esse modelo e quem pode se beneficiar desta solução?

 

Ir ao banco, abrir uma conta, solicitar um cartão de crédito, conversar com o gerente para pedir um empréstimo: essas ações fazem parte da rotina de muita gente, mas nem todo mundo se dá conta de que aquilo que parece rotineiro na verdade esconde alguns desafios para parcelas significativas da população especialmente em países em desenvolvimento como os da América Latina.

Dificuldade de acesso a agências bancárias para moradores do interior ou regiões rurais, taxas elevadas, soluções pouco aderentes ao perfil do consumidor ou até excludentes para sua realidade socioeconômica, dificuldade de realizar transações financeiras para profissionais que estão constantemente em trânsito: esses são alguns dos exemplos comuns que ainda limitam a bancarização da população.

Muitos desses desafios, é claro, já foram minimizados pelo avanço dos bancos digitais. Prova disso, no Brasil 2 em cada 5 pessoas possuem contas neste tipo de instituição (Zetta). Além disso, de janeiro de 2020 a junho de 2021, 38 milhões de brasileiros abriram sua primeira conta (Banco Central).

Qual é o próximo passo, então, para acelerar a inclusão financeira se já temos alta disponibilidade de soluções financeiras digitais para os problemas mais comuns? Os desafios específicos de determinados perfis de usuários (sejam pessoas físicas ou jurídicas).

E é aí que entram as fintechs de nicho!

Neste artigo, vamos falar sobre alguns desses modelos de negócio que já existem, além de apresentar as principais oportunidades para as fintechs que escolherem se dedicar a este tipo de operação. Confira!

 

O que podemos entender por fintechs de nicho?

As fintechs de nicho são instituições que, além de apresentarem as características comuns desse perfil de empresa (como serem 100% digitais e oferecerem soluções financeiras com taxas mais acessíveis), trabalham com segmentos bem específicos do mercado.

São empresas que observaram desafios invisíveis, escutaram os diferentes públicos (ou seja, os diferentes nichos) que não são contemplados pelos bancos tradicionais e outras fintechs de atuação mais ampla e, com isso, decidiram oferecer soluções específicas para essas pessoas ou empresas.

A própria natureza das fintechs de nicho fomenta um vínculo mais estreito e mais orgânico entre a instituição financeira e seus clientes, uma vez que os próprios alicerces para esse vínculo são os valores compartilhados, a oferta de soluções singulares e a personalização no atendimento de acordo com as necessidades de cada cliente.

Não por acaso, algumas fintechs de nicho trabalham em parceria com iniciativas sociais e ONGs alinhadas aos valores da instituição: para muitas delas, o objetivo principal não é o lucro, mas sim fazer o dinheiro circular dentro das comunidades que usam os serviços oferecidos.

Em outras palavras: as fintechs de nicho estão focadas no micro, e não no macro.

 

Principais oportunidades para instituições em atuar com nichos de mercado:

  • Potencial de se tornar a instituição financeira preferida do usuário, com alto nível de fidelização e alta taxa de utilização das soluções;
  • Oportunidade de desenvolver um mercado onde há menor competição com outros players;
  • Possibilidade de atuar em parceria com outras empresas e organizações dedicadas àquele perfil de cliente;
  • Maior espaço para inovar em soluções do que ao concorrer com instituições tradicionais.

 

Fintechs de nicho na prática: conheça alguns exemplos

O foco no micro e na segmentação significa que as fintechs de nicho são mais do que soluções de digital banking, já que o grande diferencial dessas empresas não está nos produtos oferecidos, mas sim no modo como esses produtos são ofertados ― e para quem eles são ofertados.

E, no que temos acompanhado do mercado, esses usuários podem estar agrupados pelas mais variadas características e comportamentos. Já vimos fintechs de nicho com foco em:

  • Inclusão de grupos minorizados (pessoas negras, pessoas com deficiência, moradores de comunidades);
  • Perfis de consumo (gamers, aficionados por tecnologia);
  • Perfis demográficos (adolescentes, pessoas idosas);
  • Grupo profissional ou perfil de empresa (MEIs, caminhoneiros, catadores de recicláveis, revendedoras de cosméticos, diaristas).

Ou seja, onde há um grupo com desafios comuns que não sejam atendidos de forma concreta por soluções financeiras que já existam, há espaço para o desenvolvimento de uma fintech de nicho!

 

Exemplos de fintechs de nicho para se inspirar

Entre tantas fintechs de nicho despontando no Brasil e na América Latina, a Conta Black e o Target Bank são exemplos com propostas interessantes e que trabalham com segmentos bem específicos do mercado.

A Conta Black, fundada pelo Sérgio All, é uma fintech de nicho voltada para pessoas negras que propõe uma abordagem inclusiva e democrática ao mundo das finanças. Atualmente em fase de testes com o app exclusivo da empresa, a Conta Black oferece soluções como cartão virtual, geração de links para cobrança, pagamento de boletos, conta corrente e programa de educação financeira. Além disso, também conta com tarifas acessíveis e planos de expansão que envolvem um programa de cashback e um marketplace integrado.

O Target Bank, por sua vez, é uma fintech focada em soluções tecnológicas e financeiras para o setor de transporte rodoviário de carga. A empresa identificou neste nicho demandas específicas – como a dificuldade de ir presencialmente a agências por causa do tempo em rota, para desenvolver uma conta digital para caminhoneiros com vários benefícios exclusivos. Entre eles, cashback e tag de pedágio.

Embedded finance: oportunidade para qualquer empresa se tornar uma fintech de nicho

As fintechs de nicho têm um espaço significativo para ocupar no mercado de pagamentos e banking e, assim, gerar oportunidades para os negócios e contribuir para acelerar a inclusão financeira.

E não são apenas novas empresas que podem participar dessa transformação: por meio do movimento de Embedded Finance e de modelos como Banking as a Service e Fintech as a Service, negócios já consolidados em outros segmentos podem engajar seus públicos de nicho ao oferecer soluções financeiras.

Quer conhecer exemplos reais de como isso já acontece?

Duas empresas que atuam em outros setores estão ocupando espaço atuando também com modelos semelhantes ao das fintechs de nicho: Donus (da Ambev) e Minha Revenda Digital (do Grupo Boticário).

A Donus é a solução financeira da Ambev, criada para ajudar a rede de micro, pequenas e médias empresas que são clientes da marca a terem uma melhor gestão financeira. Entre os serviços oferecidos, estão conta digital, maquininha e crédito.

Já a Minha Revenda Digital foi criada pelo Grupo Boticário para incluir financeiramente as revendedoras de suas marcas e também oferecer soluções que facilitem suas vendas: maquininha, venda por link, emissão de boleto, entre outras.

 

Mais do que desenvolver um produto financeiro, se apaixonar pelo desafio!

Em um cenário de intensa evolução no mercado financeiro, as fintechs de nicho ocupam um espaço de destaque entre as oportunidades para os negócios que começam a desenvolver suas soluções.

Mas, ao atuar com um perfil de público específico, se torna ainda mais essencial para o sucesso a longo prazo entender e se apaixonar pelo desafio a ser resolvido pelos serviços financeiros.

Aqui na Dock, apoiamos a evolução de muitos desses negócios decodificando o universo financeiro e a tecnologia em pagamentos e banking para que, justamente, essas fintechs de nicho possam acelerar o lançamento de suas soluções e dedicar energia para realmente compreender os públicos a que se dedicam.

Quer saber mais? Assista ao nosso vídeo manifesto:

 

Fintechs de nicho: o que você viu nesse artigo?

  • Fintechs de nicho são aquelas que se dedicam a um perfil específico de público, com soluções focadas em suas necessidades singulares. Essa segmentação por nicho pode ser baseada em perfil comportamental, socioeconômico, entre outros.
  • Os benefícios para fintechs em atuar com soluções de nicho são a alta fidelização de seu público,  com alta taxa de utilização dos serviços, possibilidade de explorar um mercado ainda em potencial e maior espaço para inovação.
  • Não são apenas novos negócios que podem atuar como fintech de nicho: empresas de diferentes segmentos podem ter a sua própria fintech por meio do modelo de embedded finance, engajando seu público em uma nova frente de negócio.

Artigos relacionados:

Quer ficar por dentro das últimas novidades no mercado de pagamentos e digital banking?

Inscreva-se na nossa newsletter mensal: