Fintechs

Por que as fintechs vão dominar o mundo?

O relatório “World FinTech Report 2019” – importante estudo divulgado pelas empresas Capgemini e Efma -, apresentou a realidade sobre as fintechs do mundo. Essa pesquisa focou no crescimento dessas empresas e os seus serviços financeiros. O resultado mostra que esses negócios aceleram o seu crescimento por escalar suas operações, além de serem uma tendência sem volta.

Mas como está o mercado das fintechs?

Como esse modelo de empresa está colocando os bancos tradicionais em “xeque”?

Qual é a realidade dos serviços bancários digitais no Brasil?

Conheça as respostas em nosso artigo!

Como está o crescimento das fintechs?

No Brasil, existem mais 370 startups voltadas para os serviços financeiros, elevando o nosso país ao topo do pódio do maior ecossistema de fintechs da América Latina. Esse movimento inovador ganhou forças devido a dois fatores.
O primeiro refere-se à diminuição de relevância dos bancos tradicionais perante os clientes. Já o segundo é a mudança do comportamento das pessoas que estão cada vez mais em busca de serviços digitais que tornam a sua vida financeira mais prática com, por exemplo, custos mais baixos de serviços.

Será que bancos tradicionais perderão espaço no mercado financeiro?

A resposta a essa pergunta é sim. No entanto, não estamos dizendo que as grandes instituições bancárias desaparecerão, mas o seu modelo tradicional de serviços mudará completamente. O motivo da sobrevivência dos bancos, que há tempo estão no mercado financeiro, é a adaptabilidade aos novos serviços inovadores.

Explicando sobre esse assunto, o estudo citado no início do artigo aponta uma nova fase chamada “open x”. Essa nova etapa significa a união dos bancos tradicionais com os serviços financeiros das fintechs, ou seja, uma parceria estratégica.

No entanto, ocorre também uma quebra da verticalização dos serviços financeiros. Se antes, apenas os bancos, seguradoras e processadores de pagamento detinham esse mercado, agora empresas de vários nichos da economia podem oferecer esse tipo de serviço. Como assim?

Um artigo da Forbes deu exemplos de empresas não financeiras de diversos ramos, como: prestadores de serviços de saúde, distribuidores de comércio eletrônico etc., que fazem uso dos serviços das fintechs.

Com esse “casamento”, conseguem oferecer produtos e serviços financeiros atingindo até mesmo um público que antes não utilizava os bancos tradicionais. Uma delas é a Amazon que, como ajuda de uma fintech, tornou-se uma financiadora da sua cadeia de suprimentos.

Qual é o atual panorama dos serviços bancários digitais?

Como essa é uma tendência forte, mas relativamente nova, as organizações que investirem em plataformas Banking as a Service (BaaS) visando oferecer serviços financeiros poderão se destacar. Esse é um “oceano azul” de oportunidades que será dominado por quem explorar esse mercado primeiro e demonstrar inteligência de negócios.

Afinal, esse modelo de serviços financeiros oferece uma boa experiência ao cliente. Além de proporcionar praticidade e funcionalidade a sua gestão de pagamentos. Há também o público que não está vinculado a um banco tradicional, mas que deseja possuir os serviços de pagamentos oferecidos pelo Banking as a Service.

Em termos globais, os serviços bancários digitais prometem avançar nos próximos anos. No Brasil, a lei 12.865/13 fomenta esse modelo de serviço por permitir a abertura de instituições de pagamento digital sem que seja necessário atuarem diretamente no mercado financeiro.

Sendo assim, os bancos tradicionais provavelmente terão os seus serviços oferecidos por outras empresas, em especial as fintechs. Não é absurdo pensar que você deixará de visitar uma agência e gerir suas finanças por meio do seu app favorito. Pode ser o que costuma pedir comida ou da empresa que fornece a sua “maquininha” de cartão.

Voltar

DeepDock Materiais exclusivos e análises amplas para
quem quer se aprofundar sobre o nosso negócio.
E-books, infográficos, whitepapers, pesquisas e cases.

Acessar gratuitamente

Você está pronto para se tornar um
pioneiro do banking para empresas
no Brasil?

Quero abrir o meu banco