BaaS

Você sabe o que significam os números do cartão?

Tempo de leitura: 12'

Entre todos os meios de pagamento que circulam no mercado, os cartões de crédito são uma das opções mais populares. No país, eles já são utilizados por mais de 50 milhões de pessoas na hora de fazer uma compra, segundo pesquisa do SPC Brasil.

Porém, muitos desses usuários não sabem exatamente como essa forma de pagamento funciona ou o que significam os números que estão inseridos no cartão. Essas informações são importantes se você pretende usar um cartão de crédito, ou até mesmo se deseja que a sua empresa tenha o próprio cartão

Pensando em te ajudar com isso, neste artigo vamos explicar detalhadamente o que significam os números do cartão e qual é a função de cada um deles na hora da compra. 

Acompanhe a leitura! 

O que significam os números do cartão, afinal? 

Você provavelmente já deve ter reparado que os cartões de crédito e débito possuem uma sequência numérica estampada. Não importa qual seja a bandeira ou a instituição emissora do cartão, todos eles têm entre 13 e 16 dígitos de identificação, geralmente gravados abaixo do nome do titular. 

À primeira vista, esse conjunto de números pode parecer aleatório, mas a verdade é que eles possuem a função de identificar alguns dados bem específicos.

Todas as vezes em que um novo cartão vai ser emitido por um banco, ele é gerado com a sua própria sequência numérica, que deve seguir as regras criadas pela Organização Internacional de Padronização (ISO – International Organization for Standardization).

A norma que define as diretrizes para os números dos cartões é a ISO 7.812, que entrou em vigor no ano de 1989. A sua validade de regulação é internacional, mas a estrutura dos números pode sofrer algumas variações de acordo com o país onde o cartão foi emitido. 

Veja como funciona esse sistema no Brasil:

Bandeira

O primeiro dígito dos cartões serve para identificar a sua bandeira. De acordo com a norma da ISO, cartões de crédito e débito só podem começar com os números 3, 4, 5 e 6, sendo:

  • 3 – American Express e Diners Club; 
  • 4 – Visa; 
  • 5 – MasterCard, ELO;
  • 6 – Discover.

Os outros dígitos são destinados a cartões com outras funções, como os de convênios médicos, programas de fidelidade, cartões pré-pagos, entre outros. 

BIN

Após a identificação da bandeira, os números entre a segunda e a sexta posição informam qual foi a instituição bancária responsável por emitir o cartão

Essa sequência é conhecida como BIN (sigla em inglês para Número de Identificação Bancária), ou IIN (Número de Identificação do Emissor). 

Cliente 

Entre o 7° e o 15° dígito da sequência fica o conjunto de números que identifica cada cliente. Eles ajudam as instituições financeiras a identificarem qual é a conta e a agência bancária do cliente e quais tipos de operações ele está autorizado a fazer.

Por essa razão, essa sequência numérica é exclusiva de cada usuário, não se repetindo entre dois cartões diferentes. 

Dígito verificador 

O último número dos cartões tem a função de dígito verificador, ou seja, é um fator de segurança. Ele foi originado a partir de uma fórmula matemática elaborada em 1954 pelo então engenheiro da empresa IBM Hans Peter Luhn. 

Conhecido por algoritmo de Luhn, o dígito verificador consegue detectar erros na sequência, mesmo que seja por apenas um número com grafia parecida trocado, como o 1 e o 7.

Assim, quando o portador do cartão digita algum número errado ao fazer uma compra online, ou quando a maquininha do cartão lê um dígito trocado e faz a transmissão errada, a compra não é concluída por motivos de segurança. 

Isso porque esse algoritmo é determinado com base em todos os outros números que formam a sequência de cada cartão. Por isso, se algo estiver em desacordo com o conjunto de números para o qual ele foi pensado, a transação não pode ser validada. 

Esse recurso é especialmente útil para evitar que hackers e golpistas consigam criar uma sequência aleatória de números que seja capaz de efetuar operações de compra com sucesso. Dessa forma, o dígito verificador protege clientes e fornecedores

Outros números

Além dos números da sequência que identifica o cartão, esses meios de pagamento também contam com uma data de validade, geralmente expressa no formato MM/AA, e com o código de segurança. 

Esse último é um conjunto de três números, normalmente localizados no verso dos cartões, que serve para validar as compras feitas com cartão de crédito pela internet. Esses dígitos são gerados pela instituição que emite o cartão.

Sempre que o usuário faz uma transação por lojas virtuais, ele precisa digitar o chamado Código de Verificação de Cartão (CVC), ou Valor de Verificação de Cartão (CVV), para concluir a transação.  

A Dock e os números 

Agora que você já sabe o que significam os números do cartão, já deve ter entendido a importância que cada um deles têm para que as transações possam ser efetuadas. 

Um dos componentes mais importantes dessa sequência numérica para empresas que desejam ter o próprio cartão é o BIN, aqueles seis primeiros dígitos que identificam o emissor. 

Isso porque a organização deverá ser capaz de colocar um BIN nos cartões que serão oferecidos para os seus clientes. 

A Dock disponibiliza para as instituições parceiras um range de BIN, ou seja, uma sequência numérica própria, que comporta a emissão de até nove milhões de cartões. 

Assim, as empresas parceiras podem utilizar o BIN concedido pela própria Dock para emitir os seus cartões pré-pago e fornecer serviços de banco digital aos seus clientes, sem precisar ter a preocupação de adquirir um BIN exclusivo. 

Quer saber mais sobre as possibilidades do Banking as a Service (BaaS)? Acesse o site e conheça a experiência Dock!

Botão para experiência Dock

Voltar

DeepDock Materiais exclusivos e análises amplas para
quem quer se aprofundar sobre o nosso negócio.
E-books, infográficos, whitepapers, pesquisas e cases.

Acessar gratuitamente

Você está pronto para se tornar um
pioneiro do banking para empresas
no Brasil?

Quero abrir o meu banco