Tendências para Bitcoin: insights da Bitcoin Conference 2022

Publicado em 27 de abril de 2022.

Tempo de leitura 7 minutos de leitura

Em abril desse ano, mais de 30 mil pessoas se reuniram em Miami com um interesse em comum: acompanhar as últimas tendências para Bitcoin e todo o universo relacionado a esta criptomoeda. A ocasião? A Bitcoin Conference 2022, maior evento sobre Bitcoin do mundo!

E nosso time esteve lá, aprendendo e trocando experiências com profissionais e entusiastas de tecnologia e finanças de todo mundo. Neste artigo, queremos compartilhar um pouquinho de tudo que vimos, a partir dos insights selecionados pelo Lucas Zarife, Business Architect da Dock.

Confira a seguir!

 

5  insights e tendências para Bitcoin

É difícil resumir quatro dias de agenda intensa falando sobre temas como legislação, acesso, segurança em criptomoedas e tendências para Bitcoin – além de tantos outros debates relevantes para sua evolução.

Mas, olhando para os desafios latino-americanos e para as oportunidades na região, Lucas Zarife trouxe os 5 tópicos abaixo que valem a nossa atenção:

 

1. A indústria de pagamentos está se movendo na velocidade da luz

À medida que as pessoas decidem fazer parte da nova economia comprando e acumulando bitcoins, novas empresas e novas tecnologias são desenvolvidas e integradas ao ambiente de pagamentos tradicional.

Empresas como CashApp, BitPay e Strike anunciaram novas features em seus aplicativos que permitem ao usuário comprar, armazenar, transferir e gastar bitcoins com muito mais facilidade, através da Lightning Network: protocolo do Bitcoin que promete resolver problemas de escalabilidade com transações gratuitas e praticamente instantâneas.

 

Confira a demonstração de Jack Mallers, CEO da Strike:

 

2. Grandes players procuram custódia institucional

Cada vez mais indivíduos e empresas buscam o Bitcoin para se proteger da inflação. As fintechs e a camada de inovação do mercado estão percebendo essa demanda crescente e correndo para construir um ambiente capaz de integrar o velho mundo financeiro de Wall Street à essa nova economia.

O grande desafio neste momento é lidar com a alta complexidade da tecnologia base (blockchain), e construir todos os controles de segurança e PLD integrados às plataformas. Para isso, as principais características desejadas em uma custódia institucional terceirizada são:

  • Um cofre seguro
  • Um protocolo de custódia transparente
  • “Proof-of-reserve”, ou seja, uma prova pública de que os fundos não estão perdidos, o que é uma característica inerente à blockchain do Bitcoin by design.

 

3. Abrindo as portas para o varejo

Qual é o caminho para que um mercado de 100 bilhões de dólares evolua para um mercado de 1 trilhão, 10 trilhões de dólares e por aí em diante? A resposta passa pelo varejo e tem 3 principais pontos:

  • Acessibilidade: é preciso disponibilizar ferramentas de fácil acesso para empresas e consumidores transacionarem entre si com pouca ou nenhuma fricção.
  • Educação financeira: esse é um ponto-chave no Brasil, por exemplo, um país pioneiro dentro do mercado tradicional, porém que ainda não avançou na mesma velocidade que outros mercados quando falamos de Bitcoin e criptomoedas.
  • Marketing simples, produto simples: por meio de uma comunicação clara e fortes parcerias, o mercado deve prover acesso simples às ferramentas necessárias para o acúmulo de capital (poupança) e a criação de riqueza com o Bitcoin.

 

Veja o painel da Bitcoin Conference 2022 que aprofundou o debate sobre o tema:

 

4. Regulações estão a caminho, e elas prometem abrir o mercado para a inovação

Kevin O’Leary, um dos investidores mais famosos dos Estados Unidos e participante do famoso programa de TV “Shark Tank”, apresentou um painel muito encorajador e otimista a respeito das regulações e políticas que estão a caminho para a indústria.

A principal preocupação dos reguladores com o Bitcoin é o seu consumo energético.

A “prova de trabalho” (ou abreviado em inglês PoW) é um mecanismo de consenso interno que gera um alto consumo energético por parte dos mineradores, porém é absolutamente necessário para proteger o Bitcoin de ataques, garantir a sua descentralização e o seu valor econômico.

Sabendo disso, grandes players como a Black Rock estão puxando a indústria na direção da mineração de bitcoins com energias renováveis como solar, eólica e hidráulica. Isso tornará a produção de novos bitcoins muito mais limpa e aderente com as políticas de ESG, abrindo caminho para que bilhões de dólares entrem com segurança nesse mercado.

 

5. Bitcoin, not blockchain

Apesar do evento contar com a presença de algumas empresas que trabalham com DeFis (finanças descentralizadas) e outras blockchains, o foco do evento foi de fato no Bitcoin, e não em outras criptomoedas.

Enquanto as outras criptomoedas ainda buscam provar a sua utilidade e aplicação na resolução de problemas do mundo real, o Bitcoin mantém-se como a criptomoeda mais relevante devido à sua simplicidade e propósito único: ser um dinheiro digital peer-to-peer.

O Bitcoin é um protocolo publicamente auditável, e pertence a ninguém e ao mesmo tempo a todos os seus participantes. Ele nada mais é do que um livro contábil distribuído em milhares de máquinas no mundo todo, e por isso é praticamente indestrutível.

Com o seu limite fixo integrado ao protocolo de 21 milhões de moedas, ele atende à necessidade tecnológica de ser um dinheiro programável construído para o século 21, mantendo as propriedades econômicas que tornaram o ouro a camada base de valor econômico do mundo por muitos séculos.

Por esses e muitos outros motivos, a atenção da maioria dos painelistas e dos participantes estava direcionada à integração dessa nova forma de dinheiro sólido em todas as esferas da sociedade, e não na utilização da tecnologia base (blockchain) para tentar construir outras aplicações.

 

Quer mergulhar no conteúdo da Bitcoin Conference 2022 e se aprofundar em tendências para Bitcoin?

Confira essa playlist da Bitcoin Magazine com os principais debates e painéis do evento.

O futuro do Bitcoin e das criptomoedas é promissor. E nós queremos fazer parte dele!

Segundo a pesquisa State Of Blockchain 2021, da CB Insights, os investimentos em startups de criptomoedas cresceram 713%. E já são mais de 15 bilhões de dólares em bitcoins alocados por empresas de capital aberto em seus portfólios de investimentos.

Com tanto volume circulando neste mercado, o futuro dos criptoativos soa promissor. E, é importante ressaltar: as criptomoedas não são mais apenas interesse de poucos entusiastas, mas sim uma forma de transacionar valores com potencial de engajar um alto volume de usuários, dos mais diversos perfis.

Por isso, na Dock estamos sempre de olho nas tendências para Bitcoin e outras criptmoedas – nosso objetivo é decodificar essa tecnologia para ajudar os nossos clientes a explorarem oportunidades e impulsionarem seus negócios.

Em breve prometemos anunciar novidades por aqui!

 

Resumo: tendências para Bitcoin a partir do evento Bitcoin 2022

  • Quando falamos em tendências para Bitcoin, precisamos mencionar o Lightning Network: uma nova tecnologia integrada à indústria de pagamentos que promete acelerar e baratear as transações de bitcoins;
  • A busca por Bitcoin aumentou com a alta da inflação, trazendo às fintechs desafios de segurança e integração para atender à demanda dos grandes players por custódia internacional;
  • Acessibilidade, educação financeira e marketing são fundamentais para empresas do setor financeiro que desejam escalar o crescimento e aproveitar as oportunidades com as tendências para Bitcoin;
  • A mineração de Bitcoins com energias renováveis trará aderência às políticas de ESG, abrindo caminho para a entrada de bilhões de dólares no mercado;
  • Os investimentos em criptomoedas continuam crescendo, e o Bitcoin mantém-se como a mais relevante delas.

Artigos relacionados:

Quer ficar por dentro das últimas novidades no mercado de pagamentos e digital banking?

Inscreva-se na nossa newsletter mensal: