Economia tokenizada: a revolução que está transformando o setor bancário e de meios de pagamentos

Publicado em 01 jul 2024.

Tempo de leitura 11 minutos de leitura

A economia tokenizada surge como uma verdadeira revolução tecnológica, trazendo mudanças significativas para diversos setores, especialmente o de banking e meios de pagamento. Mas o que realmente significa essa transformação? Quais são os benefícios, desafios e oportunidades que ela oferece?

A economia tokenizada aumenta a eficiência das transações financeiras e democratiza o acesso a investimentos, reduzindo custos e melhorando a transparência do processo por meio do uso de blockchain. Além disso, a tokenização está impulsionando a inovação em produtos e serviços financeiros, abrindo caminho para novos modelos de negócios e oportunidades de mercado

De acordo com um relatório produzido pelo MIT Technology Review, o mercado de ativos tokenizados deve alcançar a marca de US$ 4 trilhões em valor até o fim de 2030. Por isso, as empresas do setor financeiro precisam estar atentas às novas possibilidades que esse modelo inovador oferece.

Neste artigo, abordaremos o conceito de economia tokenizada e como este modelo está transformando o setor de banking e meios de pagamento.

*Este artigo faz parte da cobertura da Dock no Febraban Tech.

 

O que é economia tokenizada?

 

A economia tokenizada corresponde à digitalização de ativos físicos ou financeiros em tokens, que são representações digitais desses ativos em blockchain. Esses tokens podem representar qualquer coisa, desde ações e imóveis até obras de arte e moedas digitais.

A tokenização permite que esses ativos sejam facilmente transferidos, negociados e geridos em uma rede digital segura e transparente.

No Febraban Tech 2024, a temática da economia tokenizada esteve presente em diferentes painéis e foi assunto central da trilha sobre a moeda digital brasileira do Banco Central – “Drex: oportunidades e tendências emergentes na economia tokenizada“:

 

Tokenização e blockchain

 

A tokenização está na base desse conceito e diz respeito ao processo de converter direitos sobre um ativo em um token digital que pode ser armazenado, transferido e negociado em blockchain. Essa tecnologia garante a segurança e a imutabilidade das transações, além de permitir a divisão de ativos em frações menores, tornando-os mais acessíveis a um público maior.


 

blockchain é a tecnologia fundamental por trás da economia tokenizada. Trata-se de um “livro-razão digital” descentralizado que registra todas as transações de maneira segura e transparente.

Cada bloco de dados é conectado ao bloco anterior, formando uma cadeia (por isso, o nome “blockchain”). Isso garante que as transações não possam ser alteradas ou adulteradas após serem registradas.

 

Economia tokenizada na prática

 

A edição especial “Economia Tokenizada” da MIT Technology Review Brasil, em parceria com o Mercado Bitcoin, explora as realizações, desafios e oportunidades na nova economia digital baseada em blockchain.

A publicação detalha o impacto do blockchain e dos contratos inteligentes no mercado, além de abordar o desenvolvimento e a implementação de moedas digitais de bancos centrais (CBDCs) e a tokenização de ativos. O relatório apresenta alguns casos de uso desse novo modelo.

Um dos principais cases destacados é a tokenização de ativos imobiliários. A MB Tokens, uma unidade de negócios do Mercado Bitcoin, lançou seu primeiro token atrelado ao mercado imobiliário em parceria com a Braspark, empresa do setor logístico.

Este token é baseado em um contrato de aluguel de um galpão logístico, permitindo que investidores adiantem fluxos de recebíveis com deságio e ganhem a diferença ao longo do tempo como rentabilidade. O caso demonstra como a tokenização pode transformar o mercado imobiliário, tornando investimentos em imóveis mais acessíveis e líquidos.

Outro exemplo é o case do Token da Vila (MBSANTOS01), um fan token baseado no mecanismo de solidariedade da FIFA. Este token representa os direitos do mecanismo de solidariedade do Santos Futebol Clube, que garante ao clube uma porcentagem sobre a transferência de jogadores que se formaram no clube entre os 12 e 23 anos.

Com a contratação de Neymar pelo Al-Hilal Saudi Club, o Token da Vila rendeu aproximadamente R$ 18 milhões aos seus investidores. Este caso ilustra como a tokenização pode ser aplicada no esporte para criar novas fontes de receita e engajamento com os fãs.

 


 

Quais são os benefícios da economia tokenizada?

 

A economia tokenizada transforma significativamente o modo como ativos são geridos e transferidos pelas empresas e usuários. A seguir, tratamos sobre algumas vantagens que esse novo modelo traz ao mercado de forma geral.

 

Aumento da liquidez

A tokenização permite que ativos tradicionalmente ilíquidos, como imóveis ou obras de arte, sejam fracionados e vendidos em partes menores. Isso aumenta a liquidez desses ativos, fazendo com que eles se tornem mais acessíveis e negociáveis no mercado.

 

Redução da fricção na transferência de ativos

Com a tokenização, a transferência de ativos se torna mais eficiente e rápida, eliminando intermediários e reduzindo custos. As transações são registradas em uma blockchain, o que garante segurança e transparência.

 

Maior acessibilidade a um mercado global

A tokenização democratiza o acesso a investimentos, permitindo que qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, possa investir em ativos que antes eram inacessíveis. Isso abre novas oportunidades para investidores e empresas.

 

Economia tokenizada e CBDCs

 

As Moedas Digitais de Bancos Centrais são um dos pilares da economia tokenizada. Elas representam a digitalização da moeda fiduciária de um país e são emitidas e regulamentadas pelo Banco Central da respectiva nação.

A adoção de CBDCs pode impulsionar ainda mais a economia tokenizada, integrando esse modelo ao sistema financeiro tradicional.

A América Latina está se tornando um terreno fértil para a inovação em CBDCs e economia tokenizada. Países como Brasil, México e Argentina estão se preparando para explorar essas tecnologias e, assim, melhorar a inclusão financeira e a eficiência econômica.

A integração de CBDCs com sistemas de pagamento tokenizados pode revolucionar o setor bancário na região.

No Brasil, o Drex, antes chamado de Real Digital, é um exemplo de CBDC em desenvolvimento. Ele tem o objetivo de modernizar o sistema financeiro, proporcionando transações mais rápidas, seguras e eficientes.

 

Economia tokenizada: principais oportunidades e tendências

 

A economia tokenizada apresenta várias oportunidades e tendências, especialmente para o setor de banking e de meios de pagamento.

 

Instituições financeiras

Bancos tradicionais estão começando a explorar a tokenização como uma forma de oferecer novos produtos e serviços aos seus clientes. Além disso, a tecnologia permite que bancos ofereçam investimentos fracionados em imóveis, ações e outros ativos, aumentando as opções para seus clientes.

 

Fintechs

As fintechs estão na vanguarda da inovação em economia tokenizada. Elas podem usar a tokenização para desenvolver novos modelos de negócios, como plataformas de sistemas de pagamento mais eficientes e investimentos tokenizados. Isso contribui para aumentar a competitividade no setor financeiro e oferecer melhores serviços aos consumidores.

 

Empresas de serviços financeiros

Já outras empresas que oferecem serviços financeiros podem se beneficiar da tokenização ao reduzir custos operacionais e aumentar a eficiência. A tokenização simplifica processos como a liquidação de transações e a gestão de ativos, proporcionando uma vantagem competitiva.

 

Transição para a economia tokenizada também apresenta desafios

 

Embora a economia tokenizada ofereça muitos benefícios para as empresas do setor financeiro, a transição para esse novo modelo também apresenta desafios.

A regulamentação é um dos maiores deles. Governos e autoridades reguladoras precisam desenvolver modelos legais claros para garantir a segurança e a conformidade das transações tokenizadas. Sem uma regulamentação adequada, a confiança dos investidores pode ficar comprometida.

Outro desafio é a implementação de uma infraestrutura tecnológica robusta para dar conta da economia tokenizada.

Isso inclui a criação de plataformas seguras para emissão e negociação de tokens, bem como a integração com sistemas financeiros existentes. Para se adaptar a essa nova realidade, as instituições financeiras precisam investir em tecnologia e capacitação.

 

Como se preparar para essa nova fase da economia tokenizada?

 

Para se preparar para a economia tokenizada, instituições financeiras e outras empresas que oferecem serviços financeiros precisam adotar diversas estratégias para acompanhar a transformação do mercado.

 

Transformações internas

As organizações precisam reavaliar seus processos internos e fazer as mudanças necessárias para operar dentro da nova infraestrutura de mercado. Isso pode incluir a atualização de sistemas de TI, treinamento de funcionários e a adoção de novas práticas de governança.

 

Desenvolvimento de capacidades necessárias

Para lidar com a tokenização, as empresas devem investir no desenvolvimento de capacidades tecnológicas e operacionais ou, mais vantajoso, na maioria dos casos, na contratação de fornecedores de tecnologia e inovação para serem parceiros nesse novo contexto.

 

Adaptação às mudanças regulatórias

Outro ponto de atenção para as empresas é a atualização em relação às mudanças regulatórias. As organizações precisam trabalhar em colaboração com reguladores para garantir que seus produtos e serviços estejam em conformidade com as leis locais e internacionais.

No caso de ter parceria com empresas especialistas, normalmente os próprios fornecedores cuidam dessa parte regulatória, o que é ótimo porque garante ajuda no processo de adaptação.

 

Exploração de novas oportunidades de mercado

A economia tokenizada abre novas oportunidades de mercado que as empresas que atuam no setor de banking e pagamentos podem explorar. Isso inclui, por exemplo, a ampliação da oferta com novos serviços financeiros, a criação de plataformas de negociação de tokens e a expansão para mercados internacionais.

 

A Dock acompanha de perto a consolidação da economia tokenizada

 

A Dock está na vanguarda das inovações no setor de meios de pagamento e serviços financeiros, acompanhando de perto as tendências da economia tokenizada.

Nossa plataforma Dock One oferece um conjunto robusto de soluções integradas que podem contribuir para facilitar a adaptação ao novo cenário que se desenha. Nesse sentido, contamos com soluções de Banking, Cards & Credit, Acquiring e Fraud Prevention.

Além disso, estamos constantemente monitorando as inovações do mercado. Isso garante que nossas soluções estejam sempre alinhadas às últimas tendências e regulamentações do setor, garantindo conformidade e segurança em todas as transações.

 

Tokenização: o que você viu neste artigo

 

  • A economia tokenizada representa uma revolução no setor bancário e de meios de pagamento, oferecendo muitos benefícios, como aumento da liquidez, redução da fricção na transferência de ativos e maior acessibilidade a um mercado global.
  • A transição para essa nova economia também apresenta desafios, como a necessidade de regulamentação adequada e a implementação de uma infraestrutura tecnológica mais eficiente.
  • Para se preparar para essa nova fase, instituições financeiras e outras empresas que oferecem serviços financeiros precisam adotar estratégias de transformação interna, desenvolvimento de capacidades tecnológicas, adaptação às mudanças regulatórias e exploração de novas oportunidades de mercado.
  • Com a abordagem correta, a economia tokenizada pode transformar o setor financeiro, proporcionando um futuro mais eficiente, inclusivo e inovador.

 

Artigos relacionados

 

 

Quer ficar por dentro das últimas novidades no mercado de pagamentos e digital banking?

Inscreva-se na nossa newsletter mensal:
Email enviado Inscrição realizada! OK